• Histórias de Au Pairs
Escrito por May 8, 2019

Host Mom em Destaque: A História de Andrea

Saiba mais sobre o forte vínculo de amizade entre uma host mom e sua au pair.

By Cultural Care Au Pair

No segundo post da nossa série Host Mom em Destaque, apresentamos Andrea Birkel, uma host mom que mora em uma pequena cidade de New Hampshire com o marido e seus dois filhos! A família passou a receber au pairs desde o nascimento do filho mais novo há seis anos!

 

Andrea conta que sua família é bem ativa e fácil de lidar. Eles adoram atividades ao ar livre, seja na montanha ou na praia e também amam viajar! Andrea diz que tanto ela como seu marido têm família grande e foram acostumados com o entra e sai de parentes em suas casas o ano inteiro. É por isso que adoram receber au pairs.

 

Laços de Família

 

“É como seu eu fosse sua tia em tempo integral,” diz Andrea sobre Nadine. “Cuidava dela da mesma forma que faço com a minha sobrinha. Queria ter certeza de que ela estava feliz e saudável.”

 

Andrea fez o melhor para que Nadine tivesse uma experiência enriquecedora e gratificante nos EUA. Embora não seja fácil, ela procurou se esforçar para que Nadine tivesse seu próprio espaço e privacidade, mas também fizesse parte da rotina familiar. Graças ao ótimo relacionamento que sempre houve entre as duas, a comunicação entre elas era clara e eficaz.

 

“Queria que ela tivesse ótimas recordações do seu ano nos EUA e autonomia suficiente para descobrir mais sobre si mesma,” diz Andrea. “Ela sabia que poderia contar sempre com minha ajuda.”

 

Mesmo que cada pessoa da família tivesse uma percepção diferente sobre Nadine, ela era igualmente especial. Para Lucy, a filha de 8 anos, Nadine era como uma irmã mais velha. Elas adoravam fazer caretas engraçadas no Snapchat, criar pulseiras super estilosas e colorir. Já para Oliver, o caçula de 6 anos, Nadine era uma mistura de mãe e parceira de brincadeiras. Ela brincava de Lego com ele por horas a fio e também o ajuda a se vestir e a se limpar sempre que necessário!

Para Shane, marido de Andrea, Nadine era como sua irmã caçula que tinha acabado de voltar para o Centro-Oeste. Eles adoravam uma competição com jogos de tabuleiros ou no vídeo game. E por fim, havia a forte afinidade de Andrea e Nadine, que eram como mãe e filha. Esta família de cinco pessoas adorava ficar junta e aprender um com o outro.

Trocas Culturais

 

O Natal na casa dos Birkel já era uma tradição da família e a presença de Nadine só tornou esta data ainda mais especial. Em meados de Outubro, a casa da Andrea já começou a se transformar em um verdadeiro Pólo Norte. Nadine aproveitou seu tempo livre para assar os tradicionais biscoitos de Natal austríacos, decorar a casa com flocos de neve feitos de papel e fazer calendários temáticos ao som de músicas Natalinas!

 

“Aprendemos tudo sobre o Natal na Áustria até mesmo sobre uma criatura aterrorizante chamada Krampus,” relembra Andrea. “Ter uma au pair austríaca na época de Natal, foi uma experiência fascinante para todos nós!”

 

A troca cultural era constante. Os Birkel faziam Nadine sempre experimentar algumas comidas típicas americanas como manteiga de amendoim e o famoso mac & cheese. Nadine também fazia questão de preparar pratos infantis típicos da Áustria que as crianças simplesmente AMAVAM.

Andrea adora quando a família tenta recriar os pratos preparados por Nadine! “Aprendi que há alimentos que são “comfort foods” para as au pairs e procuro preparar este tipo de refeição ao longo do ano para elas,” diz Andrea. “É tão gratificante ver o quanto as au pairs se sentem bem ao comer algo familiar e que as façam lembrar de casa. Além disso, elas apreciam todo o empenho da família na caça aos ingredientes.”

 

Toda vez que uma au pair prepara um prato típico de seu país, ela no conta quem prepara as refeições na sua casa e fala sobre as tradições envolvidas neste processo. “Adoro estes momentos em que minha família e a au pair temos a chance de aprender através da culinária e desta troca gastronômica”, diz Andrea.

A Experiência Americana

 

Nadine disse à Andrea que de um modo geral, achou os americanos muito simpáticos e que gostou muito disso. “Quando fomos abrir a conta de Nadine no banco, o funcionário fez algumas perguntas como: de onde ela era, o que tinha achado de mais interessante nos EUA até o momento, etc.” diz Andrea. “Nadine me disse que na Áustria este tipo de conversa casual durante a abertura de uma conta, seria praticamente impossível de acontecer! Nadine ficou encantada já que na comunidade todos queriam conversar, saber como ela estava e aprender mais sobre sua cultura.”

 

Andrea também adorou saber um pouco mais sobre a cultura austríaca, principalmente sobre o sistema de ensino, o bairro, a família de Nadine e seus vários papéis na comunidade. Nadine mora em uma cidade minúscula com 300 habitantes. “Nos EUA é muito comum termos amigos e parentes espalhados por todo país, por isso estamos acostumados a percorrer longas distâncias para nos encontrar,” diz Andrea. “Utilizamos o FaceTime para conversar com nossos parentes em todas as partes dos EUA”.

 

Para Nadine esse é um exemplo clássico de choque cultural, já que para ela é muito estranho a família ter que depender do Face Time para interagir. Na Áustria, sua terra natal, costuma visitar seus familiares várias vezes na semana. Seus avós, não têm necessidade de ter celular nem computadores, pois todos seus amigos e parentes vivem bem próximos, no mesmo bairro.

 

Quando perguntamos à Andrea porque as trocas culturais são tão importantes, a resposta foi a seguinte: “Há uma grande diferença entre viagens e trocas culturais. Apesar de ambas serem muito valiosas, são completamente diferentes. Uma troca cultural significa desarrumar as malas, vivenciar e respirar a cultura até que haja uma mudança de percepção. Criar laços e fazer amizades com pessoas de outro país, é o começo para uma empatia multicultural. Quero que meus filhos reconheçam que embora haja muitas maneiras de se viver no mundo, não há uma forma “certa” de fazer as coisas. O contato com outras culturas, além de trazer conhecimento, ainda faz com que aprendam a respeitar as diferenças que há no mundo inteiro. Essa compreensão só é possível através das trocas culturais.”

 

Para saber mais sobre a host mom Priya e sua au pair, confira nosso primeiro post da série Host Mom em Destaque aqui!

Cultural Care Au Pair
Cultural Care Au Pair

Somos da Cultural Care! Acreditamos que o intercâmbio cultural torna o mundo um lugar melhor, por isso nossa missão de vida é ajudar as au pairs a terem experiências enriquecedoras nos Estados Unidos. Quando não estamos ajudando as au pairs a viajar, aprender, crescer e viver a melhor experiência de suas vidas nos EUA, provavelmente estamos comendo doces de todas as partes do mundo e bebendo muitas xícaras de café.

Mais popular

Mais sobre Histórias de Au Pairs

A line drawing of a gumball machine

Compatilhe sua história!

Estamos procurando criadores de conteúdo apaixonados pelo programa para contribuir com nosso blog. Envie sua história hoje e compartilhe em primeira mão suas histórias da vida como au pair!

Saiba mais